sábado, 17 de fevereiro de 2007

1ª onda

Olhei para trás e cansado já dizia a mim próprio "bem... agora tem de ser de qualquer maneira... I'm too f... tired!" (sim pensei exactamente desta maneira). Entretanto lá vinha ela, não tinha mais de uns centímetros valentes, aí uns 90 e tal. Remei com todas as forças e virei-me para onde ela se deslocava. Mal me toca, sinto-me ser sugado e logo de seguida empurrado, levanto-me e precipito-me sobre a rampa que se forma à minha frente!... Ouço gritos que fazem coro com os meus e quase em uníssono percorremos aquela onda em conjunto. Fazia um ano que andava a aprender e ainda não sentia que podia dizer "ah e tal vou surfar!", como se não fosse merecedor do título de surfista. Ao chegar à base da onda, olhei para o que evoluia numa onda perfeita a acabar na parede de rochas, no início da praia. Aqueles momentos duraram efectivamente pequenas eternidades que degustei em cada instante, como pedaços de chocolatee que se derretem na boca e nos deixam uma envolvência quente doce e aveludada na boca. A onda acaba e sentimos que a abraçámos e fomos abraçados pelo mar. O mar finalmente decidiu quando era o momento de me atribuir por mérito, o poder de saber tirar proveito da sua força em prol da libertação de espírito.

3 comentários:

Susana disse...

ehehehehe Boa surfing Samuel! I'm proud!
E parabéns por surfares a blogosfera também.

dulcineia disse...

se calhar devias ouvir hj a prova oral na antena3 o tema tem a ver com surf e não só, mas é o core.

Samuel disse...

A net é realmente um espectáculo... estou a ouvir, agora :)
Obrigado Dulcineia.